Usuarios On-line







terça-feira, 27 de dezembro de 2022

Cearenses viajam até 6 mil km para encontrar familiares para festas de fim de ano



Entre a saudade dos familiares e a vontade de reencontrar pessoas queridas no fim do ano, mais de seis mil quilômetros de distância. Foi esse o caminho percorrido pelas cearenses Ana Raquel Romeu e Gabriela Santiago, que cruzaram o oceano para estar junto à família.

A tradutora Ana Raquel saiu da Europa e retornou ao Brasil para encontrar os pais. Ela faz mestrado em uma universidade de Lisboa desde setembro, mas a distância já pesou no cotidiano dela e da família, apesar do pouco tempo da mudança. “Eu nunca morei sozinha, sempre estive com meus pais o tempo todo. Então, essa foi a minha primeira experiência sozinha”

“Eles disseram que é muito estranho passar pelo meu quarto e não me ver, porque eu sempre estive aqui. E eu ainda tenho uma tia, que é como uma mãe para mim, que fez a mala e vai passar o tempo todo aqui comigo”, disse a estudante, que veio à Fortaleza para passar Natal e Réveillon.


O núcleo familiar de Raquel (ela, pai, mãe e tia) tem o costume de passar as festas de fim de ano juntos. “Eu nunca passei o fim do ano sem meus pais. E, além disso, teve outra experiência. Eu fui em setembro e, em outubro e novembro, foi o aniversário do meu pai e da minha mãe. Foram os primeiros aniversários deles que eu não estava presente. Eu inclusive chorei muito”, disse a tradutora.

Realização de sonho

A jornalista Gabriela Santiago fez caminho inverso ao de Ana Raquel: decidiu ir à Europa reencontrar a irmã e o sobrinho. “De início, a ideia era vir direto para Barcelona para passar o Natal com eles. Só que eu decidi ir para Paris passar dois dias; passei o Natal sozinha. Fiz amizade com uma menina do avião e a gente curtiu o Natal lá”, explicou a jornalista, que fez alterações no plano inicial, mas encontrou a irmã e o sobrinho dois dias depois.

“Eu amo estar com minha família e amo viajar, então aproveitar essas festas de fim de ano ao lado da minha irmã e do meu sobrinho aqui é muito especial, principalmente porque uni as duas coisas”, comentou.


“A última vez que eu vi a minha irmã e meu sobrinho foi no ano passado quando eles foram para Fortaleza. A gente planejou, e se encontrou aqui em Barcelona. Vamos ficar aqui até o dia trinta e depois eu volto pro Brasil. Não vou passar o réveillon. Na verdade, eu vou passar o Réveillon no avião. Provavelmente eu devo a chegar em Fortaleza umas duas horas da manhã do dia 1º”, disse Gabriela, que sacrificou o momento da virada de ano para conseguir realizar o sonho de ir encontrar a irmã na Espanha.

Apesar da felicidade pelo sonho, ela não escondeu a saudade que sentiu na noite do dia 24. “Fiquei um pouco triste na noite de Natal por não estar em Fortaleza, celebrando com o resto da família e comendo a comida deliciosa da minha mãe, mas decidi que queria viver isso esse ano, realizar umas das metas que tracei. Tem sido muito legal essa experiência”, declarou.