Usuarios On-line







sexta-feira, 16 de dezembro de 2022

Alunos ficam sem aula presencial por falta de energia e água em escola em Caucaia



Alunos da Escola Municipal Antônio Albuquerque Sousa Filho, no Parque Potira, em Caucaia, na Região Metropolitana de Fortaleza, estão sem aula presencial por falta de energia e de água na unidade. A prefeitura afirma que os problemas são causados pela baixa tensão na rede elétrica.

Questionada pelo g1, a Enel informou que vai enviar uma equipe ao local para inspecionar a rede e “tomar as medidas necessárias para normalizar a situação”.

A mãe de um aluno do colégio, que não quer ser identificada, informou ao g1 que não houve aula presencial nesta quinta-feira (15) por motivo de falta de água e de luz. Além disso, os pais foram chamados para irem buscar as provas bimestrais dos filhos para serem aplicadas em casa e depois devolvidas na unidade.

Segundo a denunciante, é a segunda vez só essa semana que a filha fica sem aula presencial, mas o problema já vem desde agosto.

“Desde agosto que sempre tem algum motivo para não ter aula, ou é falta de água, ou é falta de luz. E quando tem luz, do nada tem falta energia no meio da aula. Quando a escola está sem água, as crianças da manhã estudam até 9h; e as da tarde, até 15h”, disse.

Para a mãe, os problemas na escola municipal está comprometendo o aprendizado da filha e dos demais alunos.

“Já era para ela está escrevendo em letra cursiva e lendo bem, mas o pessoal da sala dela não está. Teve até uma reunião com os professores para falar sobre isso. Eles sempre culpam a pandemia”, relatou a mãe de aluno.

Conforme a Secretaria de Educação de Caucaia, a falta de luz nesta quinta-feira foi causada um pico de tensão no fornecimento de energia elétrica, o que provocou o disparo do disjuntor e ocasionou o desligamento de fornecimento de energia para a unidade escolar.

“Imediatamente, uma equipe da Secretaria de Infraestrutura de Caucaia (Seinfra), foi até o local e o fornecimento de energia foi reestabelecido”, informou a Secretaria da Educação.

‘Baixa tensão’

De acordo com a Secretaria, a rede elétrica que atende a escola municipal “é insuficiente para a demanda de energia para a unidade escolar”, o que tem ocasionado constantes quedas de energia desde agosto deste ano.

Ainda conforme a pasta, o problema ocasionado pela baixa tensão tem impactado também no fornecimento de água, já que a caixa d’água é abastecida com a utilização de energia elétrica.

“Para solucionar definitivamente o problema, a Seinfra já solicitou à empresa responsável pelo fornecimento de energia o aumento de carga”, disse a Secretaria.

Sobre a redução da carga horária das aulas em sala de aula, a Secretaria da Educação disse que a medida foi tomada pela direção em conjunto com o órgão, para garantir a continuidade do ano letivo.

“Os estudantes dos anos finais, 5ª ao 9ª ano, têm recebido trabalhos dirigidos a fim de complementar a nota do bimestre, não sendo assim prejudicados”.

 

Fonte: G1