Usuarios On-line







domingo, 4 de fevereiro de 2024

Cid Gomes se filia ao PSB e aprofunda rompimento com o irmão Ciro Gomes



O senador Cid Gomes se filiou ao PSB neste domingo, 4, em um ato que contou com a participação de ministros do governo Lula e lideranças de partidos aliados ao petista. O parlamentar deixou o PDT após romper com o irmão, o ex-governador e ex-ministro Ciro Gomes, adversário de Lula na última eleição.

O evento realizado em Fortaleza contou com a presença do vice-presidente Geraldo Alckmin (PSB), do ministro do Empreendedorismo, Márcio França (PSB), do ministro da Educação, Camilo Santana (PT), e da secretária-executiva do MECIzolda Cela, que também se filiou ao PSB neste domingo.

Senadores e deputados, como o líder do governo na Câmara, José Guimarães (PT-CE), também participaram da cerimônia. Ciro Gomes não compareceu.

Irmãos em lados opostos

Os irmãos Cid e Ciro cortaram os laços após entrarem em divergência sobre seus rumos políticos. Enquanto Cid trabalhava por uma aproximação com o PT, Ciro defendia que o PDT adotasse a independência no estado.

Continua após a publicidade

Um dos pontos centrais da crise familiar foi o hoje ministro Camilo Santana, que trabalhou pela aproximação com Cid Gomes. Neste domingo, durante o ato, o senador entrou no palco acompanhado de Camilo, a quem chamou de “irmão”.

“Quando eu procurei o Camilo para ser governador, não era para ser capacho meu. Esse é o primeiro caminho de uma briga. Eu o procurei para ser o governador do estado melhor do que eu, esse sempre foi o meu desejo. E digo aqui sem nenhum problema de vaidade: o Camilo é hoje a maior liderança do estado do Ceará, e eu me orgulho disso”, disse Cid Gomes.

Em discurso, Camilo Santana também chamou Cid Gomes de irmão e afirmou que ele foi o maior governador do Ceará.