Usuarios On-line







segunda-feira, 11 de dezembro de 2023

Sofia Valim teve órgãos doados: “Recebemos um fígado, mas, em seguida, retribuímos, doando outros órgãos da Sofia”, diz Gaida Dias


Sofia Valim, de 19 anos, teve a morte confirmada, neste sábado (9), após complicações na cirurgia do transplante de fígado, realizada na última quinta-feira (7), em um hospital de Fortaleza. A influenciadora digital era filha da empresária, comunicadora e sócia-proprietária do Grupo Cidade de Comunicação, Gaída Dias, e do prefeito de Caucaia, Vitor Valim.

“Minha filha será luz na vida de muitos jovens. E o que conforta meu coração, nesse momento, é saber que outras pessoas terão esperança de viver. Se Deus quis assim, mesmo com toda tristeza, aceito e obedeço à Sua vontade. Sentirei muita saudade da minha menina, companheira e bagunceira. Eu era fã dela”, disse a mãe.


Foto: Divulgação

Sofia estava internada desde o dia 3 deste mês no hospital Monte Klinikum, devido a uma hepatite fulminante no fígado. Após seguir os trâmites legais e entrar na fila para transplante de fígado, Sofia conseguiu um doador compatível devido à urgência do seu caso.

A internação de Sofia Valim provocou uma onda de solidariedade e orações no Ceará e sua partida precoce, reacendeu a importância da doação de órgãos. Quem doa órgãos pode beneficiar e salvar, pelo menos, dez vidas. Atualmente, o país possui 65 mil pessoas na fila de transplante de órgãos.

“Sofia ensinou e nos deixou com várias missões. Uma delas é apoiar a causa da doação de órgãos. Um único doador pode salvar algumas vidas. Apesar dessa dor, conseguimos ressignificar o momento, permitindo que a vida de outras pessoas continuasse. Recebemos um fígado, mas, em seguida, retribuímos, doando outros órgãos da Sofia. Apesar da dor e da tristeza, sabemos que fizemos o bem; ajudamos quem estava em necessidade. Estamos tristes, devastados e com muita saudade, mas na certeza que Deus nos mantém de pé. E a doação de alguns órgãos fez pessoas voltarem a ter esperança, a ter vida. Mesmo diante de um momento de dor, essa é uma atitude que nos acalma e conforta. É um ato de humanidade. Espero que todos possam perceber, a partir daqui, a doação de órgãos de uma forma mais humana. Se estamos partindo, então, uma parte nossa, por meio dos órgãos, poderá salvar a vida de alguém. Comunique à sua família que você pretende ser um doador. Essa é a maneira mais simples de validar esse ato de amor”, afirma Gaida Dias em texto publicado no Instagram.

Por Fernanda Leite