Usuarios On-line







quinta-feira, 11 de maio de 2023

Homem suspeito de comercializar cigarros eletrônicos é preso pela Polícia Civil na Capital



Com base nas investigações, parte do material contrabandeado era importado do Paraguai

A Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE) prendeu, nessa quarta-feira (10), um homem de 51 anos, suspeito de  comercializar clandestinamente uma grande quantidade de cigarros eletrônicos. Com base nas investigações, parte do material contrabandeado era importado do Paraguai. O alvo, que foi localizado em um estabelecimento comercial, onde eram vendidos os produtos, foi capturado em flagrante no bairro Bonsucesso – na Área Integrada de Segurança 6 (AIS 6) de Fortaleza.


Logo que tomaram conhecimento sobre a venda ilegal de cigarros eletrônicos, proibidos pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), no bairro Bonsucesso, os investigadores do 27 Distrito Policial (DP) iniciaram uma série de diligências. Ontem (10), ao se deslocarem para o endereço indicado, os policiais civis encontraram Avelino Caldas Spinola, de 51 anos, dono do ponto comercial intitulado como “Embaixador do Arguile”. Após vistoria na loja, os policiais civis encontraram centenas de cigarros eletrônicos conhecidos como “vapers”, além de essências, ervas, narguile e acessórios para o uso de material ilícito.


Ainda conforme levantamentos policiais, alguns dos produtos localizados estavam com a validade vencida. Diante disso, Avelino e o material foram encaminhados para o 27º DP. Na unidade, o homem foi autuado em flagrante por crime contra a incolumidade pública. Agora, as investigações seguem com o objetivo de identificar outros possíveis pontos de venda e distribuição do material, além de identificar outros suspeitos.


Denúncias

A população pode contribuir com as investigações repassando informações que auxiliem os trabalhos policiais. As informações podem ser feitas para o número 181, o Disque-Denúncia da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), ou para o (85) 3101-0181, que é o número de WhatsApp, por onde podem ser feitas denúncias via mensagem, áudio, vídeo e fotografia.

As denúncias podem ser encaminhadas também para o telefone (85) 3101-5663, do 27º DP, unidade que cobre a região. O sigilo e o anonimato são garantidos.