Usuarios On-line







sábado, 21 de janeiro de 2023

Pedro Lobo participa de reunião Internacional de Avaliação Climática



No evento, a Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), apresentou prognóstico climático para o trimestre de fevereiro a abril de 2023._


Na manhã da última sexta-feira, (20), Pedro Lobo esteve presente no XXV Workshop Internacional de Avaliação Climática para o Semiárido Nordestino. O evento aconteceu no Palácio da Abolição, onde a Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme) apresentou o prognóstico climático para o próximo trimestre no estado do Ceará. 

Segundo prognóstico climático da Funceme, o Ceará tem maior probabilidade de chuvas acima da média no trimestre de fevereiro a abril de 2023. Conforme o estudo, as probabilidades são de 50% para precipitações acima da normalidade, 40% em torno dela e 10% para chuvas abaixo da média climatológica. O prognóstico indica ainda, alta variabilidade espacial e temporal na distribuição das chuvas no estado. 

“Acompanhar a estimativa de chuvas para o estado é fundamental para que possamos buscar apoio para os trabalhadores e trabalhadoras do campo, para o cenário geral da agricultura, principalmente para a agricultura familiar do interior do nosso estado, em especial da região do Cariri”, destaca Pedro Lobo. 

O presidente da Funceme, Eduardo Sávio Martins, explica que “As condições oceânicas são favoráveis para todo o norte da região Nordeste, o que acaba sendo bom não somente para o Ceará, porém, é importante reforçar que, mesmo confirmando-se o cenário mais provável, é natural que dias mais secos ocorram durante o trimestre. Já uma tendência que o mês de fevereiro, principalmente no início, seja de poucas precipitações”.

O Governo do Ceará, mantém, um grupo de instituições como a própria Funceme, o Companhia de Recursos Hídricos (Cogerh), a Superintendência de Obras Hidráulicas (Sohidra), Cagece e também alinhado com a  Secretaria de Desenvolvimento Agrário (SDA), por exemplo, para acompanhar e avaliar  onde o Estado tem problema de abastecimento, onde é que é preciso priorizar construção de adutoras, poços profundos, além de outro que discute as questões do plantio.