Usuarios On-line







terça-feira, 17 de janeiro de 2023

Energia solar: fuga de cobrança trouxe mais de 124 mil sistemas em 60 dias



A corrida dos consumidores para garantirem a isenção de cobranças pelo uso da rede elétrica previstas no marco legal da geração própria de energia renovável (Lei 14300/2022) levou o Brasil a registrar a instalação de mais de 124 mil novos sistemas de energia solar em telhados nos últimos 60 dias. O levantamento foi feito pelo Portal Solar, franqueadora para venda e instalação de painéis fotovoltaicos, com base em dados oficiais da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), e mostra que, desse montante, cerca de 80% são instalações em residências.

De acordo com o mapeamento do Portal Solar, o volume de projetos fotovoltaicos que entraram em operação nos telhados, fachadas e pequenos terrenos de residências e empresas superou a marca de 1,1 gigawatt entre novembro e dezembro de 2022. O período limite que garantia tal isenção era o dia 7 de janeiro deste ano, quando começaram a valer as novas regras de cobranças aos consumidores que protocolam, a partir desta data, o pedido de conexão do sistema de energia solar.

O levantamento mostra ainda que os 124 mil novos sistemas de geração própria de energia solar que entraram em operação entre novembro e dezembro de 2022 representam um crescimento 9% em relação a todo o acumulado de telhados solares instalados atualmente no país (hoje, com cerca de 1,5 milhão). Quando comparado aos 118 mil telhados fotovoltaicos registrados nos 60 dias anteriores (setembro e outubro de 2022), o volume acrescentado de sistemas solares distribuídos entre novembro e dezembro do ano passado teve um crescimento de 5%.

São Paulo está entre as UFs com maior potência instalada de energia solar na geração própria em telhados, pequenos negócios e terrenos. Segundo recente mapeamento da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar), a região possui mais de 2,1 gigawatts em operação nas residências, comércios, indústrias, propriedades rurais e prédios públicos.

A potência instalada na em São Paulo coloca o estado na segunda posição do ranking nacional da Absolar. A região possui mais de 248,3 mil conexões operacionais, espalhadas por 645 municípios, ou 100% dos municípios paulistas. Atualmente são mais de 291,5 mil consumidores de energia elétrica que já contam com redução na conta de luz, maior autonomia e confiabilidade elétrica. Desde 2012, a geração própria de energia solar já proporcionou a São Paulo a atração de mais de R$ 11,2 bilhões em investimentos, geração de mais de 63,9 mil empregos e a arrecadação de mais de R$ 2,9 bilhões aos cofres públicos.

A Lei n° 14.300/2022 estabelece que consumidores que protocolarem o pedido de conexão do sistema fotovoltaico até o dia 7 de julho de 2023 terão um período de transição mais longo para a cobrança pelo uso da rede elétrica, com dois anos a mais, até 2030, melhorando a atratividade do sistema, com mais economia na conta de luz e menor tempo de retorno sobre o investimento. Já para protocolos feitos a partir de 7 de julho de 2023, o período de transição se encerra em 2028.

Ainda segundo a Absolar, o Estado do Rio de Janeiro possui atualmente 77,5 mil conexões operacionais de energia solar em telhados, fachadas e pequenos terrenos. A região conta com 666,1 megawatts em operação nas residências, comércios, indústrias, propriedades rurais e prédios públicos. Desde 2012, a geração própria de energia solar já proporcionou ao Rio de Janeiro a atração de mais de R$ 3,5 bilhões em investimentos, a geração de 19,9 mil empregos e a arrecadação de mais de R$ 1,2 bilhão aos cofres públicos.

A potência instalada no território fluminense coloca o estado na nona posição do ranking nacional da Absolar. Segundo a entidade, o Rio de Janeiro responde sozinho por 4,1% de toda a potência instalada de energia solar na modalidade.