Usuarios On-line







quinta-feira, 5 de janeiro de 2023

Bolsonaro quer morar na Itália, com cidadania, e evitar eventual prisão



COLUNA DO MAZZINI – Isto É

O ex-presidente Jair Bolsonaro não quer voltar ao Brasil. A fuga vergonhosa para a cidade norte-americana de Orlando, na Flórida, é apenas parte de um plano de proteção contra eventual prisão. O assunto ainda é tratado sigilosamente: toda a família (ele, a esposa e uma filha menor) pede a celeridade à Embaixada da Itália em Brasília para a emissão da cidadania italiana para o clã Bolsonaro, principalmente para o ex-presidente.

Para Jair Bolsonaro, é questão de pouco tempo o ministro do STF Alexandre de Moraes – ou algum juiz, quando os processos aos quais responde “descerem” para a 1ª instância – expedir mandado de prisão numa das encrencas em que se meteu. A principal delas está sob a caneta de Moraes: as fake news propaladas por ele sobre a Aids associada a uma vacina contra Covid-19, na qual a Polícia Federal já indicou sua culpa.

O plano de fuga de Bolsonaro está traçado: Nos Estados Unidos, ele consegue se esconder por um tempo e driblar a Justiça brasileira, mas corre risco de o FBI e a PF baterem à sua porta e voltar algemado para o Brasil em caso de eventual mandado. Mas, se for para Roma a tempo, com cidadania, ele não volta mais, em razão de o país europeu não ter tratado de extradição.

A rota é tão latente que a direção do Partido Liberal adiou o aluguel de mansão no Lago Sul em Brasília. Os móveis da família, retirados do Palácio da Alvorada, estão guardados num depósito. Já os filhos com mandatos, Flávio (senador), Eduardo (deputado federal) e Carlos (vereador no Rio de Janeiro) também estão com pedido de cidadania em aberto, mas não pretendem deixar o Brasil.

Oficialmente a Embaixada não confirma o protocolo dos pedidos. A assessoria da Embaixada já foi procurada pela reportagem por e-mail, mas ainda não se pronunciou.