Usuarios On-line






segunda-feira, 5 de dezembro de 2022

Falta de cardiologista no interior causa polêmica após série de mortes por infarto



Professor e servidor Antonio Cleyton Duarte Paiva, de 43 anos, e a senhora Raimunda Dias de Azevedo, de 61 anos, foram duas das vítimas do mal súbito. Foto: reprodução

Após uma série de mortes em decorrência de infarto, a ausência de um profissional de cardiologia na Rede Municipal de Saúde passou a ser debatida em Tamboril, a 301 km de Fortaleza. De acordo com informações iniciais, cinco pessoas foram vítimas do ataque cardíaco em um período de 48 horas.

A denúncia foi publicada pelo empresário e ex-candidato a vereador Fábio Almeida. “Um município que gasta quase R$ 5 milhões com evento (Festas) por ano não pode negar atendimento à saúde pública, como consultar especializadas e exames e cirurgias”, diz o político, em postagem feita nas redes sociais. Desde julho deste ano, a Prefeitura de Tamboril desembolsou pelo menos R$ 1,5 milhões na contratação de artistas como Bell Marques, Xand Avião e Zé Vaqueiro.

Em resposta à Rede ANC, o prefeito Marcelo Mota confirmou a ausência de um profissional da área nas unidades do município. “Temos dificuldades em achar esse profissional, que queira vim. O atendimento de cardiologista é feito pela Policlínica de Crateús, que atende os pacientes de Tamboril. Mas continuaremos tentando a contratação desse especialista”, explica o gestor.

“É um problema de oferta de médicos especialistas, principalmente de cardiologistas”

Sobre a relação entre os gastos com eventos e os investimentos direcionados à Saúde de Tamboril. “Nunca foi investido tanto em saúde em Tamboril como nessa gestão. A gente faz festa sim, mas nunca deixando de olhar pra saúde, pra educação, pra infraestrutura, pra assistência social, como uma boa gestão deve fazer”, declara.

Duas das pessoas que faleceram após o mal súbito foram o professor e servidor Antonio Cleyton Duarte Paiva, de 43 anos, e a senhora Raimunda Dias de Azevedo, de 61 anos.